Aumenta emissão de GEE da indústria, nova plataforma de qualidade do ar, prêmio do MapBiomas, biomassa de eucalipto – Notícias do IEMA

27 de novembro de 2018

Olá! Este é o primeiro boletim do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA)! Periodicamente, enviaremos as novidades sobre as pesquisas científicas, as atividades desenvolvidas por nossa organização e, também, em parceria com nossos colegas.

Primeiro de tudo, estamos em novo endereço físico: Rua Artur de Azevedo, 1212, 9º andar, Pinheiros (São Paulo). Online, chegamos às redes sociais. Acompanhe a nossa página no Facebook, perfis no Instagram e no LinkedIn.

Clima

O Observatório do Clima divulgou a sexta edição do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (Seeg). Segundo o estudo, as emissões brasileiras diminuíram 2,3% em 2017 em comparação ao ano anterior devido à redução do desmatamento da Amazônia, na esteira da retomada da fiscalização do Ibama.

Mas quase todos os outros setores da economia tiveram aumento nas emissões. A elevação mais expressiva (4%) foi no setor de processos industriais. Aliás, veja uma matéria no RJTV da TV Globosobre o impacto da indústria e dos transportes no Rio de Janeiro. "A oferta de energia alternativa, a melhoria da mobilidade urbana, a disposição de resíduos de maneira adequada em aterro com aproveitamento de energia, por si só geram riqueza, geram emprego e podem reduzir as desigualdades sociais", disse David Tsai, do IEMA, durante a entrevista.

Qualidade do ar

Apenas nove estados brasileiros monitoram a qualidade do ar, esta é uma das informações reveladas pela Plataforma de Qualidade do Ar, lançada este mês. A ferramenta é a única no país a reunir dados de concentração de poluentes e a indicar as ultrapassagens dos padrões nacionais e das recomendações da OMS.

Na maior parte do país, a poluição do ar não é devidamente monitoradacomo mostra a matéria da Galileu sobre a Plataforma. 

Mobilidade

O ITDP Brasil lançou a nova versão da plataforma MobiliDADOS, com análises sobre mobilidade urbana em diferentes regiões metropolitanas do Brasil. O IEMA contribui com dados sobre emissões de carbono e de material particulado.

O Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV EAESP fez um estudo sobre os Gastos Públicos com Mobilidade Urbana, em parceria IEMA, apoio da Oak Foundation e do Instituto Clima e Sociedade (iCS). O trabalho mostrou, entre outros, que os governos municipais têm gastos mais altos na função Urbanismo. Já os governos estaduais e o federal, mais com transportes. 

Energia

Complementando energia solar e eólica, estudo revela que é possível reduzir em um quinto as emissões do sistema interligado nacional usando, nas termelétricas, biomassa de eucalipto.

Assim, como mostra matéria no O Globo, pode-se traçar um plano para plantar florestas e aumentar a participação das fontes renováveis de energia. As Florestas Energéticas gerariam o equivalente a mais de duas usinas hidrelétricas como a de Belo Monte.

Prêmio e eventos

Que ganhar um prêmio? Iniciativa conjunta do MapBiomas com o Instituto Escolhas e o IEMA reconhece pesquisadores de todas as idades e níveis educacionais que geram conhecimento sobre infraestrutura e uso do soloInscreva-se.

Manaus sediará a feira Energia&Comunidades entre os dias 25 e 28 de março. Paralelamente, haverá simpósio para debater e apontar soluções ao setor de energia da região visando a inclusão social. Estão abertas cotas para patrocínio e áreas para expositores. 

E se o Brasil zerasse suas emissões de carbono? Pesquisadores, pesquisadoras e organizações se unem para atingir esse ideal. A primeira etapa é o Seminário Carbono Zero 2050 – O Caminho, que acontecerá no ano que vem. O IEMA é responsável pela organização dos Workshops “Mobilidade Urbana” e “Transporte de Carga/Logística”

A saber

Proconve P8 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores), que institui o cronograma para o Brasil chegar ao padrão europeu EURO VI, foi publicado no Diário Oficial da União. Também saiu a nova resolução acerca dos padrões de qualidade do ar

Quer assinar este boletim do IEMA? Inscreva-se aqui!