Prêmio MapBiomas: evento inédito com vencedores acontecerá em maio

Primeira edição terá premiação em São Paulo e ressalta a importância de pesquisas sobre o uso do solo e sua relação com infraestrutura no Brasil

A celebração do Prêmio MapBiomas está se aproximando. No dia 2 de maio acontecerá a cerimônia de premiação com palestras e debates, uma iniciativa conjunta da rede de instituições do MapBiomas, do Instituto Energia e Meio Ambiente (IEMA) e do Instituto Escolhas com apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS). O evento de premiação será no Auditório Milton Santos do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP), onde os vencedores serão agraciados com os valores de R$ 3.000 a R$ 10.000.

No total, foram inscritos 30 trabalhos provenientes de 11 estados brasileiros (GO, SP, MG, BA, RJ, PE, CE, RS, PA, AM, DF) e também da Alemanha. Outro ponto registrado foi o indicador de gênero que evidenciou um equilíbrio com 53% de homens e 47% de mulheres entre os inscritos. Os trabalhos concorreram nas categorias Jovem e Geral.

O objetivo da 1ª Edição do Prêmio MapBiomas é estimular estudos sobre a relação entre a infraestrutura de energia e transportes e a dinâmica de alterações na cobertura e uso do solo no Brasil. O projeto MapBiomas (Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo do Brasil) é uma iniciativa conjunta de uma rede de universidades, ONGs e empresas de tecnologia. Juntas, elas geram mapas anuais de cobertura e uso do solo no Brasil desde 1985 a 2017 publicado em uma plataforma pública e gratuita que permite observar as transformações do território brasileiro nas últimas três décadas.

Os vencedores
Na Categoria Geral, um dos temas levantados foi os desafios associados à expansão da rede de transmissão de energia no Brasil e como podemos aprimorar a Avaliação de Impactos Ambientais (AIA) de Sistemas de Transmissão de Energia. O trabalho de Felipe Nabuco, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) em coautoria com Rodrigo Nóbrega da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), foi premiado em primeiro lugar e utiliza os dados de uso da terra do MapBiomas em uma modelagem espacial para subsidiar análises de licenciamento ambiental. O estudo apontou como resultado uma maior transparência do órgão na condução dos processos e na definição dos termos de referência emitidos para fins de licenciamento ambiental de Sistemas de Transmissão de Energia. Com isso, equipes técnicas do IBAMA podem qualificar melhor a informação e avaliações de licenciamento ambiental no setor elétrico.

Em segundo lugar, nesta categoria foi premiado o trabalho que analisou os possíveis impactos da expansão da soja e infraestrutura na Amazônia brasileira. A expansão do cultivo de soja tem sido um dos principais vetores diretos ou indiretos de expansão da agropecuária sobre as áreas de vegetação nativa no Brasil, em especial no Cerrado e na Amazônia. Gabriel Frey, em parceria com outros pesquisadores do Center for Development Research, Bonn (Alemanha), desenvolveu um modelo para identificar as áreas sob alto risco de expansão da soja auxiliando, assim, os esforços de conservação na região. Além dos quase 3 mil hectares de soja plantada na Amazônia Legal em 2014, a pesquisa encontrou outros 14 mil com possibilidade de receber o plantio. Ao simular como as potenciais melhorias futuras na infraestrutura afetariam as probabilidades de ocorrência de soja na região, a melhoria da infraestrutura pode aumentar em 14,6% as áreas de risco de expansão da soja. Se isso ocorrer na prática, pelo menos 4,8 Pg de CO2 poderão ser liberados na atmosfera, um valor que representa dez vezes o total de emissões de CO2 do Brasil em 2014.

Já na Categoria Jovem, em primeiro lugar foi premiado o trabalho de Douglas Cirino e seus colegas da Universidade Federal do ABC (UFABC), que abordou como os atropelamentos da espécie Cerdocyon thous (cachorro-do-mato) em estradas no Brasil podem estar relacionados com mudanças na cobertura e uso da terra. Presente em grande parte da América do Sul e em todos os biomas brasileiros, com exceção do centro da Amazônia, é uma das espécies com o maior registro de atropelamentos no Brasil. Por meio de uma análise da paisagem utilizando mapas de uso e cobertura do solo do MapBiomas e dados georreferenciados de mortalidade do animal em rodovias brasileiras, os autores concluíram que a presença de estradas pode causar o avanço do uso agropecuário em áreas onde havia vegetação nativa e essa conversão leva os indivíduos do Cerdocyon thous a acompanhar a expansão de modo arriscado para a continuidade da espécie. Os resultados indicam que a maior parte dos atropelamentos do cachorro-do-mato ocorre em proximidades de rios e massas de água e em extensas áreas de terra convertidas em agropecuária.

No segundo lugar da Categoria Jovem, Ana Paula M. Silvia, em coautoria com Pâmela Assis, da Universidade Federal de Goiás (UFG), analisou a influência das infraestruturas de transporte e de energia no uso e cobertura da terra no município de Jataí (GO). O município apresenta intensas modificações na paisagem desde a década de 1980 com a expansão da fronteira agrícola. A análise identificou que com o aumento do agronegócio, principalmente em commodities, a localidade vem recebendo investimentos em obras de infraestrutura como aumento e melhoria nas rodovias federais e estaduais, implementação de subestação de energia e linhas de transmissão, além das pequenas centrais hidrelétricas, aeródromos e usina de etanol. Os investimentos, por sua vez, influenciaram em um acréscimo de 16% das áreas destinadas a agricultura anual e perene e do surgimento de áreas de mineração e de cultivo de cana de açúcar. Ao mesmo tempo, a área de vegetação nativa que cobria 35% do município em 1985 foi reduzida para 24% em 2017.

Os trabalhos indicam uma variedade de aplicações dos dados de cobertura e uso da terra e suas relações com obras de infraestrutura no Brasil. Abarcando pesquisas acadêmicas com análises históricas e modelagens de cenários futuros, ações práticas de órgãos governamentais relacionadas a planejamento territorial e licenciamento ambiental de obras de infraestrutura de energia e transporte.

Prêmio MapBiomas
Esta é a primeira edição do Prêmio MapBiomas. Ela estabeleceu como premissa para os inscritos a utilização das séries históricas de uso e cobertura da terra no Brasil disponibilizados na plataforma do MapBiomas, onde é possível analisar os dados de cobertura e uso da terra por diversos recortes territoriais como estados, biomas, municípios, bacias hidrográficas e áreas protegidas e também de dados de infraestrutura de energia e transporte.

Mais informações sobre o Prêmio MapBiomas.

Serviço
Cerimônia de entrega do Prêmio MapBiomas
Dia: 02/05/2019
Horário: 17h30
Local: Auditório Milton Santos, do Departamento da Geografia, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (USP)
Endereço: Av. Prof. Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo