Xingu Solar: Energia renovável como alternativa para comunidades na Amazônia

Falta no Brasil a universalização do acesso à energia elétrica. Ter uma fonte confiável de energia elétrica é direito de todos. Algumas comunidades remotas, a maior parte delas na Amazônia, está sem energia elétrica. São indígenas, quilombolas, ribeirinhas ou moradores de reservas extrativistas.

Falta no Brasil a universalização do acesso à energia elétrica. Ter uma fonte confiável de energia elétrica é direito de todos. Algumas comunidades remotas, a maior parte delas na Amazônia, está sem energia elétrica. São indígenas, quilombolas, ribeirinhas ou moradores de reservas extrativistas. Além disso, muitas cidades ou vilarejos estão desconectados do Sistema Interligado Nacional, que distribui a energia gerada pelas diversas fontes do país. Eles são atendidos por sistemas próprios, isolados do resto. No Brasil, são 270 sistemas dos quais dependem mais de 3 milhões de consumidores. Até cidades grandes como Boa Vista, capital de Roraima, dependem desses sistemas. A maior parte dos sistemas é composto por geradores a óleo diesel. Sua operação e manutenção é cara e poluidora. Além disso, o suprimento de combustível os torna menos confiáveis do que o sistema interligado. Existem vários projetos pilotos para levar eletricidade, principalmente por meio de energia renovável, às comunidades remotas. A melhor tecnologia será aquela que mudar o foco da simples eletrificação para o desenvolvimento local.